Nosso Paraitinga: Diálogos Roda D'água

O evento da grande enchente de São Luiz do Paraitinga, desastre de repercussão nacional ocorrido em janeiro de 2010, revelou à Akarui a urgência em dialogar com a comunidade escolar sobre a importância da Bacia Hidrográfica do Rio Paraitinga e envolvê-la em sua conservação. 

 

As pesquisas realizadas naquela época apresentaram o cenário de degradação ambiental na Bacia do Rio Paraitinga, relacionado ao processo histórico de ocupação e uso do solo, especialmente na produção do café e da agropecuária. Para incrementar a biodiversidade local, potencializar a capacidade para produção de água e alimento e consequentemente aumentar a qualidade de vida no município, as pesquisas apontaram a necessidade de recuperação ambiental deste território por meio da restauração florestal das áreas degradadas, associada ao desenvolvimento econômico da região. 

 

Nesse contexto, foi construído o projeto Nosso Paraitinga: Diálogos Roda D´Água. O Roda D´Água priorizou desenvolver processos formativos com professores(as), gestores(as) e educadores ambientais e ter a escola como espaço para difundir informações e produzir conhecimentos sobre a realidade socioambiental de São Luiz do Paraitinga. Ao longo de seu percurso de trabalho, o projeto apresentou importantes temáticas socioambientais sobre trechos significativos da Bacia Hidrográfica do Rio Paraitinga de forma acessível a partir das iniciativas locais, da interação com a comunidade e de dados e conhecimentos técnicos.

 

A Secretaria Municipal de Educação de São Luiz do Paraitinga e o Parque Estadual da Serra do Mar – Núcleo de Santa Virgínia (NSV) atuaram como parceiros imprescindíveis na construção deste processo de trabalho, contribuindo tanto na concepção como na execução do projeto. Durante a elaboração do projeto, foram realizadas duas reuniões com 15 professores que fizeram parte da formação em Estudo do Meio promovida pela Secretaria em 2015. Elas orientaram a equipe da Akarui sobre ações e objetivos que poderiam fortalecer os trabalhos já realizados por eles nas oito escolas municipais de São Luiz do Paraitinga, como será contado adiante.

 
prof_reuniao-SMEtrt.jpg

O Roda D´Água teve como fio condutor o Rio Paraitinga e sua bacia hidrográfica, na porção do município de São Luiz, como território de aprendizagem sobre as questões socioambientais locais, especialmente relacionadas à água, solo e biodiversidade. Durante seus anos de atuação – entre final de 2018 e início de 2022 – o projeto colocou em pauta temáticas relacionadas ao rio e seus afluentes em conversas realizadas nas escolas de São Luiz do Paraitinga. Através do interesse e da contribuição de professores e gestores, fortaleceu a temática socioambiental em planos de aulas e projetos interdisciplinares executados durante este período.   

 

O nome do projeto é simbólico. Representa a importância dos rios e da água na vida de todos os seres do planeta e localiza sua área de atuação. A roda, com seu movimento contínuo e circular, gera força e energia, produz cultura em todos os seus aspectos e suscita a transformação da realidade. Diálogos, quando realizados continuamente, têm o poder de mobilizar as pessoas a realizarem o que acreditam e sonham individualmente e coletivamente. Por sua vez, a roda d´água faz parte da história e da memória afetiva luizense, pois movimentou por décadas diversos monjolos instalados ao longo dos corpos d´água da região para a produção de alimento, como a paçoca, farinha de milho e de mandioca. 

linha-do-tempo1-trt1.jpg

Premissa e principios

Para desenvolver suas atividades, o projeto partiu da premissa que o ser humano é parte integrante da natureza. Ou seja, para cuidar do que está a nossa volta, é preciso, antes de tudo, saber cuidar de si, do outro e de nossas relações pessoais e profissionais (no nível do pensar, do sentir e do querer), para compreender que somos agentes transformadores da realidade e corresponsáveis pela manutenção de valores éticos para a conservação dos recursos naturais essenciais à vida, inclusive, a humana.  

 

Pensando assim, o projeto elegeu quatro princípios norteadores para realizar ações de sensibilização e educação ambiental ao longo do trabalho: o cuidado, a integração, a identidade e o pertencimento. 

O cuidado já não é mais uma opção. Saber cuidar de si e do outro é fundamental para cuidar do que está à nossa volta (casa, escola, cidade, recursos naturais) e das nossas relações (familiares, amigos, professores e pessoas diferentes entre si). Aprender a cuidar de si é se atentar à nossa saúde física (o que comemos, o que fazemos, como respiramos, os remédios que usamos), emocional (o que sentimos, o que pensamos e como reagimos) e espiritual (o que sonhamos, o que acreditamos, o que nos motiva e impulsiona). É importante identificar o que sentimos e como reagimos às situações da vida cotidiana e perceber que as nossas ações são intervenções diretas na realidade. Em maior escala, as ações e escolhas de cada um, em conjunto, podem redefinir a estrutura que sustenta o modo de vida de nossa sociedade, como a forma de consumir, por exemplo.

O princípio de integração nos leva a compreender a realidade em uma visão sistêmica. A Educação Integral é um bom exemplo nesse sentido, pois ela considera que a formação humana acontece o tempo inteiro, ao longo de toda a vida e em todos os espaços, seja em casa, na escola, na praça, no quintal, no mundo. E para garantir o desenvolvimento humano em todas as suas dimensões (intelectual, física, afetiva, social e cultural), é preciso exercitar a integração entre pessoas, conhecimentos, áreas de saberes, disciplinas, realidades locais e globais. 

O princípio da identidade traz a oportunidade de refletir e reconhecer nossas origens, de onde viemos, quais nossas histórias e hábitos, quem somos e como nos relacionamos. O que e como contamos sobre quem somos, individual e coletivamente, sobre os valores que acreditamos, os símbolos que nos representam, as competências e habilidades que reconhecemos.

Há, ainda, o princípio de pertencimento, seja de um lugar, de um grupo ou de uma cultura. Ter a capacidade de reconhecer e exaltar o lugar onde se vive, exercitar o olhar como se o estivesse conhecendo pela primeira vez. Ter motivação e orgulho em transmitir conhecimentos e trocar experiências para o desenvolvimento coletivo. Observar os diferentes modos de ser e viver no município e respeitar todos eles.

Exercitar, na prática, a articulação e a conexão entre premissa e princípios através das atividades propostas pelo projeto é uma forma de contribuir com a formação de professores e com a educação em si. O objetivo é fortalecer as relações e o vínculo entre comunidade escolar e seu território e transformar a realidade a partir de pequenas atitudes que garantam as condições necessárias para o bem estar desta e das próximas gerações.

 

Atividades

Dentre as atividades realizadas, o Roda D´Água promoveu: 

  • Levantamento sobre as potencialidades, vulnerabilidades e necessidades para a continuidade do trabalho em sensibilização e educação ambiental na rede, através de entrevistas realizadas com os professores participantes do projeto;

 

  • Conversas com professores(as) e gestores(as) das oito escolas municipais sobre a importância de fortalecer as questões socioambientais em seus planejamentos; 

 

  • Encontros com a comunidade escolar em reuniões de pais, mães e acompanhantes para falar sobre o projeto; 

 

  • Oficinas para a troca de experiências entre professores(as), gestores(as) e educadores ambientais;

 

  • Saídas a campo com professores e alunos para o estudo do meio no território da Bacia Hidrográfica do Rio Paraitinga; 

 

  • Apoio na realização da Feira de Ciências anual da EMEF Prof. Waldemar Rodrigues; 

 

  • Levantamento sobre atividades práticas sobre água, solo e biodiversidade para o uso do professor; 

 

  • Produção audiovisual sobre experiências locais, com materiais de uso pedagógico; 

 

  • Divulgação das ações do projeto em redes sociais; 

 

  • Implementação de uma plataforma digital e mapa interativo sobre a Bacia do Rio Paraitinga para navegação virtual; 

 

  • Produção de mapas pedagógicos para uso de professores e alunos em sala de aula; 

 

  • A revitalização dos espaços externos das escolas como estímulo às atividades pedagógicas ao ar livre. 

 

  • Oficinas de desenvolvimento humano com o grupo gestor (diretoras e coordenadoras pedagógicas) para a incorporação de projetos de Estudo do Meio com viés socioambiental no Projetos Políticos Pedagógicos nas escolas.

 

Seção interação com a comunidade

Serão apresentadas nessa sessão algumas iniciativas realizadas pela comunidade luizense e/ou de pesquisas realizadas na região que podem enriquecer o trabalho de sensibilização e educação ambiental realizado pelas escolas de São Luiz do Paraitinga. Essas iniciativas/pesquisas dialogam com os temas e princípios do projeto Nosso Paraitinga: Diálogos Roda D´Água. Durante o projeto Roda D´Água foram realizados levantamentos de informações, conversas e entrevistas com o intuito de valorizar a diversidade de olhares sobre especialmente o território da Bacia do Paraitinga na porção de São Luiz do Paraitinga, no que diz respeito ao uso da água, do solo e da biodiversidade.

 
 

Seção experiências pedagógicas

Serão apresentados nessa sessão alguns caminhos pedagógicos que as escolas da rede de São Luiz do Paraitinga vêm percorrendo para desenvolver o trabalho de sensibilização e educação ambiental. Todas elas reforçam a relação entre o desenvolvimento de competências e habilidades da Base Nacional Comum Curricular (BNCC) no território da Bacia do Rio Paraitinga. A oportunidade de descrever essas atividades fortalece a troca pedagógica entre professores(as) e escolas, além de fortalecer projetos interdisciplinares de temática socioambiental em Projetos Político Pedagógicos.